Você sabia que pode aplicar argila facial em casa?

 

 

 

Saiba um pouco mais sobre ela e como aplicá-la!

 

Argila na estética facial

 

As máscaras argilosas são consideradas as preparações cosméticas mais antigas utilizadas no tratamento de beleza.

 

Os egípcios já empregavam preparações para este uso assim como os gregos que usavam as aplicações de argila para limpeza de pele.

 

A palavra máscara encontra sua origem possivelmente no latim “maska”, que quer dizer fantasma, ou ainda no árabe “maskharah”, que significa disfarce. Entre outros significados, é um objeto que representa uma cara ou uma parte dela, cosmético para tratamento ou limpeza da pele do rosto.

 

Os minerais encontrados nas argilas funcionam como potencializadores de determinados efeitos, conforme a sua concentração. Quando estes minerais estão em doses ínfimas, são chamados de oligoelementos, mas seu efeito remineralizante se faz notar mesmo nestas quantidades.

 

O interesse no uso terapêutico da argila cresceu grandemente, e atualmente a argila é utilizada em Spa e em terapias de beleza, bem como em aplicações clínicas, sendo assim as diferenças de cada argila pode direcioná-la ao uso correto.

 

A argila pode ser encontrada em diversas alturas e profundidades. Habitualmente são extraídas de jazidas a céu aberto e são encaminhadas às indústrias para posterior manipulação e processamento.

 

Após a extração da argila, retiram-se outros compostos indesejáveis (diferentes rochas, pedras e outros materiais grosseiros), sendo selecionada e analisada por meio de culturas microbiológicas para verificar a presença de fungos, leveduras e bactérias que esta possa conter, para evitar qualquer tipo de contaminação.

 

Ela tem efeitos de limpeza, ação tensora e aquecimento, além da promoção de ação estimulante, suavizante e também ionizante, já que a mesma é composta por elementos minerais que em contato com a pele tem ação da troca de eletrólitos.

 

As formulações são bastante variadas tanto no que se refere à composição quanto às cores das argilas disponíveis para formulação de produtos cosméticos, pois seus componentes determinam a finalidade das mesmas (modo de uso e seu mecanismo de atuação).

 

As argilas apresentam variados tipos de cores e várias funções na estética:

 

Branca: argila natural, rica em diversos compostos minerais responsáveis pela sua coloração e ação terapêutica.

 

argila-branca

 

Possui elevada quantidade de alumínio, o que lhe confere propriedades cicatrizantes.

 

Sua composição mineralógica qualitativa corresponde a uma mistura de quartzo e caolinita.

 

Na estética facilita a circulação sanguínea e promove ação antisséptica, sendo de alta excelência no controle do processo acneico, clareamento e no tônus geral da pele.

 

Verde ou Acinzentada: a mais tradicional das argilas, rica em silício e zinco, oferece atividade sebo-regulador (adstringente) e purificadora.

 

argila-verde

 

Sua coloração deve-se à presença de óxido de ferro, que atua em sinergia com outros minerais presentes.

 

Sua composição mineralógica qualitativa corresponde a uma mistura de quartzo, esmectita, illita e caolinita.

 

Na estética corporal aplicada no corpo, promove tensionamento, melhorando a flacidez tissular e auxiliando no combate da celulite.

 

Na estética facial é indicada para peles oleosas, regulando a oleosidade da pele. (Desintoxicante, Adstringente e cicatrizante, Pele acneica).

 

Vermelha: é uma argila rica em óxido de ferro com propriedades tensoras.

 

argila-vermelha

 

O óxido de ferro e o cobre são elementos importantes na respiração celular e na transferência de elétrons.

 

Sua composição mineralógica qualitativa corresponde a uma mistura de quartzo, esmectita, illita e caolinita.

 

Na estética facial, tem ação reguladora do fluxo sanguíneo e vascular, garantindo conforto e suavidade para peles sensíveis ou acometidas por telangiectasias e rosácea. (efeito tensor e estimula a circulação sanguínea e linfática).

 

Rosa: é uma mistura de argila branca e vermelha (rica em hematita vermelha), menos absorvente e mais suave do que a argila verde.

 

argila-rosa

 

Sua composição mineralógica qualitativa corresponde a uma mistura de quartzo, esmectita, illita e caolinita.

 

Na estética seu efeito é antioxidante e calmante. É muito usada para peles secas e sensíveis. (calmante, peles secas e sensíveis, purificante).

 

Preta ou Lama-negra: é obtida de grandes profundidades e raramente é encontrada pura. Este tipo de argila vem associado a materiais orgânicos e a água, formando uma lama viscosa e de cor escura. É uma das mais raras argilas e, além de anti-inflamatória, possui capacidade cicatrizante, antiartrósica e antitumoral. (anti-inflamatória e desintoxicante).

 

argila-preta

 

Amarela: rica em silício e potássio, sendo remineralizante de colágeno da pele.

 

argila-amarela

 

Exerce papel determinante na nutrição e na reconstituição celular, retardando e contribuindo desta maneira para o antienvelhecimento cutâneo.

 

Na estética facial é usada por sua ação purificadora. (Purificante e Regeneradora).

 

Roxa: rica em magnésio, induz a síntese regeneradora do colágeno, essencial para manter a pele com aspecto mais jovem devido sua ação iônica de bioeletroestimulação.

 

argila-roxa

 

Na estética facial é usada para nutrição celular. (Efeito tensor e nutritiva).

 

As máscaras ajudam a complementar um procedimento de estética, oferecendo a potencialização dos efeitos desejados.

 

Lembrando que cada argila é indicada para uma classificação de pele.

 

A aplicação da argila pode ser feita em casa.

 

É necessário diluir o produto em água filtrada até atingir uma consistência pastosa, então a aplique sobre o rosto, deixe secar por 20 minutos e retire com água fria.

 

Protocolo:

 

1° passo: higienização da pele;

 

2° passo: esfoliação;

 

3° passo: preparar a máscara com argila + água purificada;

 

4° passo: aplicar uma camada de 1 cm;

 

5° passo: retire a máscara após 20 minutos e finalize com um hidratante conforme seu tipo de pele;

 

6° passo: FPS 30.

 

 

Referências:

DÁRIO, Giordana Maciel. Avaliação da atividade cicatrizante de formulação contendo argila medicinal sobre feridas cutâneas em ratos. Trabalho acadêmico de (pós–graduação) Universidade do Extremo Sul Catarinense. Criciúma, 2007.

EVELINE, Claudia. Máscaras: as estrelas da cosmetologia. Bel Col, São Paulo, n.52, p. 22-24, mar./abr. 2010.

RIBEIRO, Cláudio de Jesus. Cosmetologia aplicada a dermoestética. 2. ed. São Paulo: Phamabooks , 2010.

SOUZA, Valéria Maria. Ativos dermatológicos, volume 2. 1. ed. São Paulo:Phamabooks, 2005.

TERRAMATER. Disponível em www.terramater.ind.br.

 

 

 

Miriam Paim

Sobre Miriam Paim

Fisioterapeuta Formada pela ULBRA- Campus Cachoeira do Sul | Especialização em Fisioterapia Dermato Funcional pelo Instituto Vida de Porto Alegre.