Quanto Cobrar Pela Sessão de Criolipólise?

 

 

Oieeeee meu povo!!!! Olha “nóis” aqui outra vez…rs

 

Vamos falar de um assunto sério???

 

Quanto Cobrar Pela Sessão De Criolipólise???

 

Todos os dias, recebo a pergunta de colegas de quanto cobrar pela sessão de Criolipólise.

 

Sabemos que não existe um valor tabelado na terapia, mas existe uma conta que podemos fazer sobre isso. Você pode aprender agora!

 

Se fizerem cursos de administração e empreendedorismo é isso que vão ouvir do professor!

 

Vamos aos cálculos:

 

Se o período do aluguel da máquina sai em média R$ 1.500,00. dividindo esse valor por 12 horas, cada hora sairá por R$125. Para um procedimento seguro, acrescente mais R$ 60 para a utilização de uma boa manta, que dará igual a R$ 185 por hora.

 

Agora é necessário somar os gastos do seu espaço entre aluguel, luz, água, iptu, funcionários, impostos, produtos, cursos, especializações,  etc. Vamos supor que esse valor some R$ 8 mil reais (na maioria das clínicas um custo mínimo para fazer seu espaço girar) . Vamos dividir esses R$ 8 mil pela quantidade de atendimentos que fazemos ao mês, incluindo todos os tratamentos, menos a crio (aqui só incluiremos a crio se o equipamento for próprio, caso seja alugado o valor da hora entra lá embaixo).

 

Portanto se fizer por volta de 130 atendimentos ao mês, fica 8mil/130att = R$61,53. Após somar o custo da crio (hora do aluguel) mais os custos da clínica (185+61,53=246,53). Você deve somar 8% de imposto sobre o serviço, que é o que pagamos para o governo! Logo 246,53+8%= 266,25! Este valor final é considerado o CUSTO direto do tratamento, fora os investimentos de montagem do espaço, cursos, especializações, congressos, presentes para clientes, café da manhã para o dia do tratamento e etc.

 

Então por não serem contabilizados de forma direta, o valor final deve ser multiplicado por 3 (custo clínica, custo procedimento e lucro) então: R$ 266,25×3= R$798,75! Pronto, aqui está o preço do seu procedimento!

 

Lembrando sempre que, na outra ponta, está o mercado – clientes que atuam de forma concorrencial e influenciam o preço final dos produtos. De nada adianta colocar ou desejar um preço por determinado produto se o mercado não aceita, por isso tratamos esta situação como uma variável não (totalmente) controlada. Você deve então colocar seu foco nas variáveis que pode e deve controlar dentro da sua empresa e da sua estrutura de formação de preços, que são os custos fixos e variáveis.

 

Mas como fazer então o cliente optar pelo meu serviço em vez do oferecido por aí por R$99???

Compras Coletivas

O grande desafio atualmente está em se diferenciar e conseguir chamar a atenção do cliente em meio a esta diversidade de opções. O que fazer para que seu azeite com ervas finas chame a atenção na prateleira do supermercado? O que fazer para que seu espaço se destaque em uma lista com outros 89 na mesma cidade?

 

O cliente precisa entender o seu CONCEITO e o que esperar do serviço oferecido para que a decisão não se restrinja somente ao preço. Passe pra ele a confiança e credibilidade de horas e de muito valor ($$$) investido em formação e cursos de especialização. Exponha seus certificados! Mostre a ele que seu espaço foi montado pensando em atender o bem estar dele, mostre que “aqui” não é “fabriquinha de produção”.

 

É essa conta que empresas sérias fazem, empresas que respeitam o profissional, que respeitam as locadoras e pagam o valor justo nas suas despesas! “Profissionais” que cobram muito, mas muuiiiiiito menos que isso, estão dando um TIRO NO PÉ e não sobreviverão ao mercado! Não sou eu quem o digo, é a estatística e a matemática!

 

Os profissionais que anunciam em sites de compra coletiva com valores muuuuito menores, ou estão pagando menos em equipamentos pirateados, descalibrados, ou ainda, exaustos de tanto uso, ou pagam menos nas mantas, sendo essas de péssima qualidade ou sem registro nos devidos órgãos (colocando em dúvida a biossegurança), pagam menos para o profissional (muitas vezes sem formação). Podem acreditar, estão trabalhando de alguma forma ilegal. Sonegam impostos ou não se especializam, ou ainda vendem criolipólise sem ser criolipólise, aliás, é uma das coisas mais comuns, e por aí vai! O famoso “jeitinho”, o famoso gato por lebre.

 

Portanto ‪#‎desconfie!!!!

 

Um abraço!

Gio

 

 

 

Giovana Valente

Sobre Giovana Valente

Esteticista | Experiência profissional de 5 anos com Criolipólise | Criadora do método Divisão térmica | Consultora de multimarcas com experiência de 15 anos no mercado de estética | Sócia proprietária na empresa Localmed Equipamentos | Administradora em Locação de Criolipólise atualmente com 6 mil seguidores | Assessora da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica – Regional SP nas gestões de 2004 a 2006 | Assessora da Sociedade Brasileira de Células-Tronco de 2007 a 2008 | Colaboradora administrativa no livro: “História da Regional SBCP”.