Perder peso ou perder gordura? Entendendo a composição corporal!

 

 

 

Já se perguntou o que realmente estamos pesando quando subimos na balança?

 

Muitos responderiam: GORDURAAAA!

 

Muitas pessoas têm o hábito de se pesarem todos os dias, e diversas vezes ficam inconformadas com os números da balança, querendo entender o motivo de se exercitarem, de estarem se alimentando da forma que a nutricionista recomendou, mas mesmo assim o peso não reduzir, ou mesmo aumentar.

 

massas

 

Bom, primeiro é preciso entender que a nossa composição corporal não é apenas gordura.

 

Temos além disso, músculos,  líquidos e ossos que também pesam, e o somatório de tudo isso junto é que dá o nosso peso na balança.

 

Os líquidos corporais, sobretudo nas mulheres, se alteram bastante ao longo do dia ou próximo ao período menstrual, por conta das modificações hormonais, o que torna as mulheres mais propensas a reterem líquidos, e isso sozinho já leva a um aumento do peso corporal.

 

Os itens que mais variam e colaboram para as nossas alterações de peso, em homens e mulheres de forma geral, e variam sobre tudo de acordo com a nossa alimentação e atividade física, são as gorduras e músculos.

 

Portanto, não há como definir através de uma simples balança o que realmente significa o nosso peso.

 

Ao comparar 1kg de gordura com 1kg de músculo, podemos perceber que a gordura ocupa mais espaço, enquanto o músculo é mais compacto.

 

Portanto, um indivíduo pode perfeitamente estar com seu peso aumentado na balança por ganho de massa muscular e perda de gordura, mas visualmente estar “mais magro”.

 

Quando há ganho de músculos e perda de massa gorda, as medidas reduzem, apesar do peso poder se manter inalterado ou mesmo aumentar, uma vez que existe menos gordura ocupando espaço no corpo e mais músculos, que são mais compactos, além de que músculo pesa mais que gordura.

 

Além disso, o simples ganho de massa muscular acelera o metabolismo, favorecendo a perda de gordura corporal. Por isso é tão importante focar nesse princípio; ele é o ponto-chave para o aparecimento de resultados.

 

gordura-musculo1

 

Em termos estéticos e de saúde, é exatamente isso o que se busca.

 

Portanto, não existe fundamento em avaliação corporal por meio de balança.

 

O instrumento mais fidedigno para verificar se o seu treino, alimentação e tratamentos estéticos estão surtindo resultados é a bioimpedância.

 

É um aparelho que avalia a composição corporal de forma completa, e mostra o percentual de massa muscular, gordura, líquidos e ossos no corpo.

 

Muitos nutricionistas utilizam como recurso para direcionar melhor seus planos alimentares, assim como educadores físicos e fisioterapeutas utilizam para analisarem como seus alunos/pacientes estão respondendo ao treino ou aos tratamentos estéticos que foram recomendados.

 

Portanto, perder peso é muito diferente de perder gordura.

 

Quando há perda de peso, caso não haja bioimpedância pra mensurar, não há como definir qual elemento (músculo, gordura) teve maior índice de redução. E se for detectado que houve redução no percentual de músculos e/ou manutenção ou ganho de percentual de gordura, indica que o plano de tratamento não foi feito ou seguido da forma correta.

 

O objetivo principal dos tratamentos impostos pela nutricionista, fisioterapeuta ou educadores físicos é a perda de gordura e sua substituição pela massa magra (músculos).

 

A combinação do melhor plano alimentar, exercícios e tratamentos estéticos é que repercutirá nesse resultado.

 

 

 

Elizete

Sobre Eliziete Abreu

Graduação em Fisioterapia pela Universidade Estadual do Piauí ( UESPI) | Especialização em Fisioterapia Aplicada á Traumatologia e Ortopedia pela Faculdade Integral Diferencial (facid) | Especialização em Fisoterapia Dermato – Funcional pelo Centro de Ensino Unificado de Teresina (CEUT) | Fisioterapeuta Efetiva do Hospital Regional de Campo Maior | Sócia do Mais Magra Espaço de Estética | Crefito 109346-F