A influência dos hormônios na celulite

 

 

 

Um verdadeiro golpe na auto-estima feminina, a celulite (fibro edema gelóide – FEG) não pode ser considerada doença e sim uma característica do sexo feminino.

 

Porém meninas, esse mundo de Meu Deus não poderia ser tão injusto conosco, onde as características dos gêneros podem ser associadas aos hormônios: A celulite está para a mulher assim como a calvície está para o homem.

 

Apesar de o termo celulite (ITE) ser inadequado, já que não se trata de inflamação ou infecção do tecido subcutâneo, o termo tem sido utilizado para descrever o aspecto ondulado da pele de algumas áreas corporais.

 

Constitui queixa freqüente em 95% dos consultórios.

 

Você sabia que os hormônios podem ser um dos principais fatores influentes da Celulite?

 

Hormônio bom ou ruim? Depende do contexto!

 

Os efeitos dos hormônios em nosso organismo não dependem só de suas concentrações plasmáticas no sangue, como também da sensibilidade dos nossos receptores bem como um equilíbrio hormonal entre eles.

 

A pílula anticoncepcional, por exemplo, é um dos desencadeadores por conter os hormônios estrogênio e progesterona, que provocam alterações no metabolismo e promovem a retenção de líquidos, estimulando ou agravando o quadro.

 

Outros métodos contraceptivos, como o injetável, DIU e alguns implantes intradérmicos, também podem conter algum nível destes hormônios e, por isso, são capazes de desencadear a celulite.

 

A camada de gordura feminina é mais extensa do que a masculina. Aliado a uma alimentação ruim e/ou à utilização de determinados medicamentos, o estrógeno contribui para a consolidação do tecido adiposo, dificultando a sua metabolização.

 

Os estrogênios (estradiol, estrona, estriol) e a progesterona são os principais hormônios responsáveis por diferenciar as mulheres dos homens, sendo o estradiol e o estrogênio de maior potência biológica.

 

O estrogênio é responsável pela textura da pele feminina e pela distribuição de gordura, que nas mulheres costuma ser maior nas coxas, no quadril e nos seios. Sua falta causa a diminuição do brilho da pele e uma redistribuição de gordura corporal para partes caracteristicamente mais masculinas, ou seja, na barriga.

 

Quando a mulher engorda, rapidamente a deposição é irregular e desordenada, facilitando a formação de nódulos de celulite. Ao emagrecer, os hormônios femininos dificultam a retirada de gordura dessas áreas. Por essa razão muitas pessoas quando emagrecem perdem medidas nos braços, rosto, tórax, pernas e músculos, mas não nas áreas com formação de celulite.

 

Os níveis de estradiol (o estrogênio com maior potência biológica) são altamente significativamente positivamente relacionados com a massa de gordura corporal e, mais especificamente, a gordura abdominal subcutânea.

 

Insulina é outro hormônio que apresenta uma resposta diferenciada em partes determinada geneticamente. Indivíduos resistentes à insulina, aliados a um cardápio com alimentação rica em carboidratos, principalmente refinados e de índice glicêmico e carga glicêmica elevados, ou também carboidratos com grandes quantidades de frutose (açúcar),  acabam acumulando mais gordura.

 

O cortisol, outro hormônio também necessário para controle da glicemia e potencializador da lipólise durante o exercício, é necessário para os processos de reparação tecidual. Quando elevado, pode ser característico de um treinamento intenso (inibindo a resposta inflamatória à lesão tecidual).

 

O cortisol elevado, inibe a secreção de GH (hormônio de crescimento benéfico ao aumento da lipólise (síntese protéica) e controle da glicemia), e o abuso do uso exógeno de GH aumentam a resistência à insulina.

 

Mesmo pequenos distúrbios dessa complexa relação entre os hormônios, sempre resultam em piora da celulite. Porém, se você tem celulite, não significa que tenha desequilíbrio hormonal, porque, mesmo os hormônios femininos perfeitamente equilibrados, podem provocar celulite, quase como uma característica feminina secundária, triste, mas é a realidade meninas.

 

Isto ocorre porque as células gordurosas dessa pessoa têm uma sensibilidade aumentada aos hormônios, provocando então a deposição de gordura e a formação de celulite.

 

Algumas pessoas são mais sensíveis aos efeitos androgênicos/virilizantes, e acabam sofrendo com acne, queda de cabelo, ginecomastia, hirsutismo, virilização, enquanto outras, abençoadas geneticamente, são muito sensíveis aos efeitos anabólicos da testosterona no músculo esquelético, muitas vezes sofrendo pouco ou nada com seus efeitos colaterais.

 

Nesse ponto, genética (sensibilidade dos receptores aos hormônios), descanso, treinamento e dieta, são fatores fundamentais para potencializar os efeitos benéficos de muitos hormônios, principalmente cortisol, insulina e GH.

 

Os tratamentos estéticos com aplicação local de medicamentos, visam mobilizar as gorduras destas áreas específicas para que possam ser utilizadas como fonte de energia e assim consumidas, ou seja, tem que haver gasto calórico!

 

Tratamentos estéticos por si só não são capazes de resolver o problema permanentemente, mas podem ajudar muito. Drenagem linfática, radiofrequência, subincisão e carboxiterapia são alguns métodos ressaltados.

 

Bom, esses são apenas alguns exemplos de como o contexto fisiológico é mais determinante para caracterizar os efeitos benéficos e maléficos dos hormônios, e não simplesmente olhar para suas concentrações plasmáticas.

 

Não existe hormônio vilão, apenas má interpretação dos efeitos desse hormônio no organismo sem considerar o seu contexto.

 

Nosso corpo é uma “bomba” química e depende de muitos mediadores para manter o equilíbrio.

 

Ah sim, você pode conferir outras matérias sobre celulite aqui no nosso portal e o mais importante! Conte conosco, profissionais da estética como aliadas no combate à celulite.

 

 

Um abraço,

Gio Valente

 

 

 

 

Giovana Valente

Sobre Giovana Valente

Esteticista | Experiência profissional de 5 anos com Criolipólise | Criadora do método Divisão térmica | Consultora de multimarcas com experiência de 15 anos no mercado de estética | Sócia proprietária na empresa Localmed Equipamentos | Administradora em Locação de Criolipólise atualmente com 6 mil seguidores | Assessora da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica – Regional SP nas gestões de 2004 a 2006 | Assessora da Sociedade Brasileira de Células-Tronco de 2007 a 2008 | Colaboradora administrativa no livro: “História da Regional SBCP”.