A Importância De Uma Boa Manta No Procedimento De Criolipólise

 

 

Oi Pessoal!

 

Hoje vamos falar de um assunto um pouco mais específico:

 

“Lenços Emolientes Para A Terapia De Criolipólise

 

Sabemos que para o correto procedimento de criolipólise, é necessário o uso de uma membrana (chamada também de lenço emoliente, película protetora, manta anticongelante etc). O mesmo independe de nomenclatura, é indispensável para um bom e seguro procedimento de criolipólise, sendo utilizada entre a pele do paciente e o aplicador do aparelho.

 

Criolipólise

 

Considerada um consumível, deve ser totalmente individual em seu uso, sendo assim descartada após cada (único) procedimento, conforme a ética de biossegurança.

 

Comercializada muitas vezes pelo seu tamanho, é constituída por um tecido geralmente fino (porém de alta resistência) embebido em fluido que dizemos “anticongelante”, normalmente composto por diversas substâncias, dentre elas: Água deionizada, glicerina, vitaminas, óleos, etc.

 

Alertamos que membranas que não tenham a devida homologação junto à ANVISA, possuem substâncias e tramas de tecido não padronizadas (muitas vezes não identificadas em sua embalagem protetora), sendo confeccionadas de acordo com sua conveniência, colocando o profissional aplicador, bem como o paciente em risco de “Criolesões”.

 

Manta Criolipólise

 

A substância anticongelante, bem como a trama, são de extrema importância para um procedimento seguro.  A Membrana, além de proteção, tem a função de auxiliar no escorregamento da prega do tecido para dentro do aplicador, facilitando assim a formação do pregueamento, garantindo um bom resultado. Seguindo a premissa de que quanto maior seja a prega dentro do aplicador, maior será a área a ser tratada.  Uma membrana que tenha uma trama de tecido fina e não resistente, com baixa quantidade de fluido, pode expor o paciente a um nível de dor, bem como colocá-lo em risco de congelamento da epiderme (crioqueimaduras), já que muitas vezes o aplicador utiliza os protocolos pré-programados dos aparelhos que promovem criolipólise.

 

Na imagem abaixo, retirada do Livro: Terapêutica em Estética – Conceitos e Técnicas – Fabio dos Santos Borges e Flávia Acedo Scorza – Editora Phorte – 2016, são mostrados alguns tipos de tecidos utilizados para confeccionar membranas anticongelantes, retratados com aumento de 200x.

 

Manta Criolipólise

 

Vimos na imagem “a” as tramas sem tanta porosidade, isso expõe a epiderme em contato com as placas de congelamento do procedimento, proporcionando muitas vezes um congelamento “acidental” ou ainda pela falta de resistência no tecido que é confeccionado, podendo ocasionar rompimentos na trama devido à força de sucção do aparelho.

 

Mantas Criolipólise

 

Lembramos que em hipótese alguma o profissional aplicador da terapia deve modificar a composição dos lenços, isso inclui glicerina e principalmente gel condutor a base de água.

 

Mantas Criolipólise

 

Ok Gio! Até aqui entendi!

 

Então como eu faço para ter certeza que não terei problemas com a qualidade dos lenços?

 

Geralmente as empresas cedem às primeiras amostras para que você teste o produto. Com isso, existem 2 testes simples que podem ser realizados.

 

Em hipótese alguma seu paciente deve servir de “cobaia”.

 

O teste deve ser realizado da seguinte forma:

 

1º Teste: TESTE DE RESISTÊNCIA.

 

 

 

 

2º Teste: TESTE DE CONGELAMENTO.

 

Coloque suas amostras no freezer em contato com uma forma de alumínio por 90 minutos (o tempo pode variar de acordo com o tipo de freezer, frosfree etc), o controle de temperatura deve ser realizado com um termômetro de infravermelho digital para que a temperatura não oscile abaixo de -18 graus. Caso congelem, significa que há muita água em sua composição, que levaria a um congelamento excessivo, sem a escolha de um protocolo adequado.

 

 

 

 

Uma última ressalva. O aplicador da terapia deve ser posicionado totalmente sobre a membrana, que deverá cobrir toda a área a ser tratada, principalmente onde as placas refrigeradoras estarão em contato com a pele. Por esse motivo, não devemos cortar as mantas para que a mesma tenha o tamanho compatível com o tamanho do aplicador escolhido. Lembramos ainda que atualmente 30% dos casos de queimaduras pela terapia de criolipólise são ocasionadas pelo uso de uma manta de má qualidade. A grande maioria das lesões ainda está nas mãos de profissionais que “apertam botão” (protocolos pré-selecionados) em vez de escolher o protocolo adequado e individual para seu paciente.

 

Ainda tem dúvidas sobre o consumível utilizado na terapia?

 

Deixe seu comentário ou escreva para gente!

 

Um super beijo, até a próxima.

 

 

Gio.
giomedestetica@gmail.com

 

 

 

Save

Save

Save

Save

Save

Save

Save

Save

Giovana Valente

Sobre Giovana Valente

Esteticista | Experiência profissional de 5 anos com Criolipólise | Criadora do método Divisão térmica | Consultora de multimarcas com experiência de 15 anos no mercado de estética | Sócia proprietária na empresa Localmed Equipamentos | Administradora em Locação de Criolipólise atualmente com 6 mil seguidores | Assessora da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica – Regional SP nas gestões de 2004 a 2006 | Assessora da Sociedade Brasileira de Células-Tronco de 2007 a 2008 | Colaboradora administrativa no livro: “História da Regional SBCP”.