Entendendo os “Protocolos Pós Criolipólise”

 

 

 

A já consagrada criolipólise, famoso “congelamento” da gordura, é uma das técnicas mais buscadas no mundo da estética atualmente.

 

O equipamento induz uma paniculite lobular (inflamação do tecido gorduroso), causando a cristalização dos lipídeos nos adipócitos, induzindo a apoptose (morte) dessas células, o que estimula o aparecimento do infiltrado inflamatório inicial e posteriormente a fagocitose por macrófagos (eliminação dessas células danificadas).

 

Exatamente pelo fato dos adipócitos serem fagocitados, a liberação local de gordura é desprezível, quase não havendo liberação local de gordura, o que torna o procedimento bastante seguro, mesmo em indivíduos com algum grau de comprometimento hepático.

 

A comprovação dessa apoptose é demonstrada por estudos imuno-histoquímicos que revelam a presença de caspase-3 (enzima) na área da aplicação. Um importante marcador de apoptose (morte celular programada). Por este motivo, as células de gordura eliminadas deste local não tendem a voltar.

 

A técnica é indicada para áreas pequenas onde há bolsas de gordura localizada, como aquelas resistentes que insistem em ficar, mesmo quando o paciente faz muita atividade física e dieta. O equipamento elimina até 30% da gordura CONGELADA em um período de 2 a 3 meses após a primeira sessão.

 

Exatamente pelo equipamento atuar em depósitos localizados de gordura é que utilizamos os chamados protocolos pós criolipólise, que irão trabalhar também áreas que não foram afetadas pelo tratamento, auxiliando a redistribuição da gordura que fica, atuando nas gorduras que não foram afetadas pelo congelamento e na flacidez da pele (pois teremos esvaziamento rápido de gordura do local).

 

Esses tratamentos geralmente se iniciam de 7 a 15 dias após o procedimento de criolipólise. Para se ter uma ideia, mesmo esse tempo é determinado pelas características individuais de cada paciente e o comportamento da área na hora e após a aplicação. Por isso uma excelente avaliação, uma aplicação e um profissional qualificado fazem toda diferença.

 

Essa sequência de tratamentos que variam de 8 a 20 sessões depois da criolipólise, visam somar resultados, intensificando-os e tornando-os mais expressivos.

 

Esses protocolos são realizados de forma personalizada, ou seja, cada paciente/cliente terá seu protocolo elaborado conforme suas necessidades.

 

Geralmente realizamos esses tratamentos ao longo de 3 meses, de 1, 2 a 3 vezes por semana para acompanharmos o efeito final da criolipólise.

 

Não significar dizer que o paciente não terá resultado se não fizer o famoso “pós crio”.

 

Ele terá sim. Porém, em menor proporção quando comparado a pacientes que seguem com esse acompanhamento.

 

Sem título

*Foto do acervo Stetic Class Foto1: Realizado criolipólise em abdome inferior, flanco direito e esquerdo. Protocolo pós criolipólise para gordura localizada.

.

*Foto do acervo Stetic Class Foto2: Realizado criolipólise em abdome inferior, flanco direito e esquerdo. Protocolo pós criolipólise para gordura localizada, flacidez de pele e muscular.

*Foto do acervo Stetic Class
Foto2: Realizado criolipólise em abdome inferior, flanco direito e esquerdo. Protocolo pós criolipólise para gordura localizada, flacidez de pele e muscular.

 

 

 

Olga

Sobre Olga Edielica Saraiva

Fisioterapeuta, especialista em Fisioterapia Dermato Funcional | Docente da pós graduação de Fisioterapia Dermato Funcional - Unichristus/CE | Docente da pós graduação de Fisioterapia Dermato Funcional - FPB/PB | Docente da pós graduação de Fisioterapia Dermato Funcional - CPOS/PA | Ministrante de cursos profissionalizantes na área por todo Brasil | Diretora da empresa Stetic Class | Diplomada pela universidade Finis Terrae/Chile