Desvendando a Terapia por Ondas de Choque na Estética

 

 

Para entendermos melhor essa terapia, primeiro temos que entender que existem dois (2) tipos de onda de choque: a onda de choque focal e onda de choque radial.

 

Aparelhos de Ondas de Choque

 

A onda de choque focal possui frequências que variam entre 16Hz a 200 MHZ, pico de pressão de até 500 bar (unidade de pressão), a zona de ação/ propagação é convergente e a profundidade de penetração é em todo trajeto. Elas dirigem a onda para um único ponto de ação e foram desenvolvidas para tratamento de tecidos mais profundos, necessitam de imagens para guiar sua terapia e requer uso de anestesia.

 

Já a onda de choque radial possui frequência menor que 20HZ, pico de pressão de até 5 bar, zona de ação/ propagação divergente e a profundidade de ação é no ponto de contato. Nessa modalidade, as ondas de choque não têm foco e existe dispersão de energia nos tecidos. Ela foi desenvolvida para tratamento de tecidos moles superficiais, não requer imagens para guiar a terapia, a técnica é segura, confortável e realizada em consultório.

 

Vale ressaltar que essas médias podem variar de fabricante para fabricante de equipamentos.

 

Outra diferença entre elas é o tipo de gerador. Geralmente, nas focalizadas são do tipo: hidráulico, elétrico ou magnético e na onda de choque racial é pneumático.

 

Na área da estética utilizamos mais a terapia por onda de choque não focalizada, soft ou comumente mais conhecida como radial que são caracterizadas por energias mais baixas.

 

Existem dois tipos de geradores para ondas de choque radial: através do Sistema de ar comprimido, que são caracterizadas por exigir um compressor de ar e sua geração por ondas de choque é normalmente referida em termo de PRESSÃO (BAR) e o Sistema eletromagnético que são caracterizados pela sua energia por ondas de choque a ser descrita em termos de ENERGIA REAL em MILIJOULES.

 

Esses geradores de ondas de choque, às vezes, confundem os interessados no assunto, pois encontramos muitos artigos publicados onde o equipamento em questão utilizava o sistema de ar comprimido, então, em sua metodologia, encontramos parâmetros de pressão descritos em bar e, em outros artigos, o sistema do equipamento utilizado é eletromagnético, desta forma encontramos a densidade de fluxo de energia por impulso descrita em ENERGIA REAL em MILIJOULES.

 

Está descrito na literatura que, conforme a intensidade da penetração, as ondas de 0,03 a 0,15 mj/mm2, denominadas ondas de baixa energia, causam analgesia e relaxamento muscular, as de 0,15 a 0,30 mj/mm2, denominadas ondas de média energia, promovem neoangiogênese e induzem a regeneração tecidual (muito usadas por nós da estética) e as de 0,30 a 0,50 mj/mm2, denominadas de alta energia, promovem ação osteogênica.

 

Energia Ondas de Choque

 

Cada empresa de equipamento possui sua tabela de conversão própria para deixar a densidade de energia equiparada, para assim podermos utilizar os artigos, seja qual gerador o equipamento publicado usou, como referência de parâmetros em nossa utilização prática.

 

Os parâmetros que geralmente são modulados nos equipamentos de onda de choque, são:

 

  • Frequência do impacto (1 a 20Hz) representa a repetição de um ciclo por segundo. Medida em Hz.
  • Dosimetria: Pico de pressão (até 500 bar ou 50 Mpa.) ou densidade de energia (mj/mm2).
  • Número de impactos/ disparos: está relacionado com o tamanho da área. Utiliza-se de 2000 a 3000 disparos por área de 150 cm2.
  • Diâmetro do aplicador: relacionado com o objetivo da aplicação, profundidade de ação e dispersão de energia.

 

Desta forma, o segredo para o sucesso da terapia, encontra-se na escolha correta de parâmetros para as distintas afecções estéticas.

 

 

 

Dra. Olga Saraiva

Especialista em Fisioterapia Dermato Funcional

CREFITO 123.553

 

 

 

Referências:

 

Rees JD, Maffulli N, Cook J. Management of tendinopathy. Am J Sports Med. 2009 37: 1855-1867.

Sharma P, Maffulli N. Tendon injury and tendinopathy: Healing and reapair. J. Bone Joint Surg. Am. 2005 87: 187-202

Gerdsmeyer L. Weil LS. Extracorporeal shckwave therapy: Technologies, Basics, Clinical Results. Towson: Data Trace Publishing Company 2007.

Valchanou VD. Hight energy schockwaves in the treatment of delayed and nonunion os fractures, int Orthop. 1991 15: 181- 184.

 

 

 

 

Olga

Sobre Olga Edielica Saraiva

Fisioterapeuta, especialista em Fisioterapia Dermato Funcional | Docente da pós graduação de Fisioterapia Dermato Funcional - Unichristus/CE | Docente da pós graduação de Fisioterapia Dermato Funcional - FPB/PB | Docente da pós graduação de Fisioterapia Dermato Funcional - CPOS/PA | Ministrante de cursos profissionalizantes na área por todo Brasil | Diretora da empresa Stetic Class | Diplomada pela universidade Finis Terrae/Chile