Cicatrizes de acne tem tratamento?

 

 

 

As tão temidas e desnecessárias lesões de acne necessitam ser controladas desde cedo, pois podem resultar em cicatrizes permanentes e, muitas vezes, de difícil tratamento.

 

A gravidade da acne está diretamente relacionada com a evolução desfavorável para formação de cicatrizes de difícil tratamento.

 

(Holland et al) mostraram forte relação entre a gravidade e duração da inflamação com o desenvolvimento de cicatrizes, por isso “cutucar” a lesão de maneira incorreta pode estimular o surgimento de cicatrizes exatamente por levar a uma inflamação secundária e aumentar o tempo inflamatório.

 

Existem dois tipos básicos de cicatrizes de acne: atrófica e hipertrófica.

 

As cicatrizes atróficas (se apresentam na grande maioria das pessoas) são classificadas como distensíveis (quando tracionadas, desaparecem completamente) e não distensíveis (não desaparecem após a tração).

 

As cicatrizes hipertróficas (rosadas, elevadas e firmes, com limites que permanecem dentro da fronteira do sítio original da lesão) e queloidianas (nódulos avermelhados ou violáceos que proliferam além dos limites da ferida original) geralmente são associadas à deposição em excesso de colágeno e a diminuição da atividade das colagenases.

 

Para cada tipo de cicatriz existe um tratamento apropriado, por isso a importância de conversar com um profissional habilitado antes de iniciar qualquer tratamento, principalmente aqueles “por conta própria”.

 

Bom, e quais tratamentos estéticos funcionam bem para tratar essas cicatrizes?

 

1. Dermoabrasão (procedimento realizado por médico, com anestesia), consiste em extirpar mecanicamente a pele danificada a fim de promover a reepitelização e planificação da pele para o nível desejado;

 

2. Técnica de Cross: Eficaz para cicatrizes isoladas sobre a pele saudável. Consiste em aplicar ácido tricloracético (ATA) pontualmente na cicatriz durante alguns segundos. Este procedimento pode ser repetido a cada 4 semanas por pelo menos 3 sessões. Porém cuidado, pois essa técnica apresenta frequentemente complicações como hiperpigmentações pós inflamatórias, por isso que a indicação correta faz toda diferença para o sucesso do tratamento;

 

3. LASER: Importante principalmente para pacientes que apresentam cicatrizes atróficas distensíveis (rasas e médias). Diferentes tipos de LASERS ablativos e não ablativos são úteis no tratamento de cicatrizes de acne. Os LASERS ablativos atuam removendo o tecido por meio de vaporização. LASERS de CO2 e erbium YAG são os mais utilizados para o tratamento de cicatrizes de acne. Os LASERS não ablativos, não removem o tecido, mas estimulam a formação de colágeno. Os mais comuns são Nd: YAG e de diodo;

 

4. Microagulhamento: O microagulhamento implica no rompimento das fibras de colágeno, induz a renovação e o crescimento de novas fibras abaixo da epiderme, causando consequentemente o espessamento desta (MATOS; 2014);

 

5. Preenchimento: As cicatrizes atróficas são mais beneficiadas com o uso de preenchedores. Essa técnica visa à introdução de substâncias (como ácido hialurônico) abaixo das cicatrizes deprimidas a fim de nivelá-las. Pode se usar também o enxerto de gordura autógena (sua própria gordura), esse preenchedor tem uma durabilidade bem maior do que o ácido hialurônico que dura em média de 8 meses a 1 ano e 2 meses;

 

6. Peelings: Principalmente os sequenciados que estimulam a renovação celular e gradativamente estimulam a homogeneidade do relevo cutâneo.

 

Nós profissionais da área da fisioterapia dermato funcional acreditamos muito na equipe multidisciplinar e na terapia combinada.

 

Os melhores resultados vêm da combinação de uma ou mais técnicas.

 

Antes de iniciar qualquer tratamento, é importante esclarecer passo a passo do tratamento para o paciente. Falar sobre expectativas reais, escutar suas queixas e sanar todas as suas dúvidas.

 

A terapia domiciliar é um complemento indispensável assim como o acompanhamento nutricional (isolando alguns alimentos e aumentando o consumo de outros) e a terapia oral (fotoprotetores orais, peeling em cápsulas…).

 

Os tratamentos minimamente invasivos para cicatrizes demonstram resultados a médio e longo prazo com alto índice de satisfação dos pacientes. Por isso, paciência, disciplina e persistência são fundamentais.

 

Resultado com microagulhamento associado a 1 sessão de LASER de CO2 

Captura de Tela 2016-04-21 a¦Çs 00.00.52

Captura de Tela 2016-04-21 a¦Çs 00.00.44

        Fonte: Acervo Stetic Class e Dr. Valderi Vieira

 

 

 

Referências:

MATOS, M.C.O; O uso do microagulhamento no tratamento estético de cicatrizes de acne. Rio de Janeiro;2014.

LYON, S; SILVA, R.C; Dermatologia estética: Medicina e cirurgia estética. 1.ed. Rio de Janeiro: Medbook, 2015

YAMAGUCHI, C; Procedimentos estéticos minimamente invasivos. I anual Meeting of Aesthetic Procedures. Livraria Santos Editora Ltda, 2005

STEINER, D.; ADDOR, F.; Envelhecimento cutâneo. 1. Ed.- Rio de Janeiro: AC Farmaceutica, 2014.

 

 

Olga

Sobre Olga Edielica Saraiva

Fisioterapeuta, especialista em Fisioterapia Dermato Funcional | Docente da pós graduação de Fisioterapia Dermato Funcional - Unichristus/CE | Docente da pós graduação de Fisioterapia Dermato Funcional - FPB/PB | Docente da pós graduação de Fisioterapia Dermato Funcional - CPOS/PA | Ministrante de cursos profissionalizantes na área por todo Brasil | Diretora da empresa Stetic Class | Diplomada pela universidade Finis Terrae/Chile