CARBOXITERAPIA NAS RUGAS FACIAIS!

 

 

Historicamente, a busca pela manutenção da aparência jovem e saudável é uma das maiores preocupações da humanidade. Em um passado distante, a expectativa de vida não passava da faixa dos 30 anos, aumentando exponencialmente com o passar do tempo, e, hoje em dia, pode chegar até aos 120 anos. Esse aumento fez as pessoas buscarem uma melhor conservação da aparência física ou o retorno a um visual mais jovial. Resta-nos, então, adequar, além da mente, a aparência física para essa nova realidade!

 

Sabemos que, infelizmente, à medida que o ser humano enfrenta o seu processo de envelhecimento, a face – região que mais incomoda as pessoas – começa a demonstrar as consequências da gravidade, do uso constante da musculatura que rege a mímica facial, além da exposição ao sol. Aparecem, então, as rugas, que são os sinais mais claros e temerosos do envelhecimento para boa parte da população, que consistem em sulcos que vão surgindo ao longo do tempo e podem aparecer também em várias partes do corpo.

 

O estresse mecânico decorrente do ato de franzir os olhos, sugar líquidos com canudo, fumar, manter uma expressão facial cronicamente sisuda, dormir lateralmente pressionando o rosto no travesseiro, etc., ocasiona as rugas de expressão.

 

Além disso, a partir dos trinta anos, o colágeno, uma proteína mágica para a pele, vai se deteriorando,se não se mantêm cuidados especiais. Sem a presença dessas “fibras de ouro”, a pele perde elasticidade e firmeza.

 

Há, ainda, um declínio das funções do tecido conjuntivo, que faz com que as camadas de gordura localizada sob a pele não consigam manter-se uniformes. Observa-se também a degeneração das fibras elásticas que, juntamente com a redução da oxigenação dos tecidos e exposição solar excessiva, provoca a desidratação da pele, provocando a formação de rugas.

 

imagem01

 

Hoje em dia, os avanços da estética e tecnologia em recursos terapêuticos minimamente invasivos, auxiliam muito as pessoas com mais idade que procuram uma aparência mais jovem e que não podem ou não querem recorrer ao bisturi.

 

A Carboxiterapia é uma técnica que utiliza gás carbônico medicinal injetável para fins estéticos e terapêuticos. A administração transcutânea desse gás teve início na década de 1930 na França, mais precisamente no SPA LesThermes de Royat, para tratamento de arteriopatias obliterantes. Posteriormente, tornou-se frequente na Itália, onde inicialmente foi utilizada na Paniculopatia Edemato Fibro Esclerótica (P.E.F.E.)(celulite), bem como um método complementar na lipodistrofia localizada. Estudos recentes com infusão subcutânea têm demonstrado seu efeito positivo em várias patologias, além de diversas disfuncões estéticas, incluindo as tão temidas rugas.

 

O tratamento terapêutico utilizando o CO2 é considerado um método de fácil execução. O dióxido de carbono é infiltrado no tecido através de uma agulha 30G com pressão e fluxo controlados. Ele se difunde facilmente nos tecidos adjacentes.Vale lembrar que o CO2 está presente no metabolismo celular.O gás utilizado possui alto grau de pureza (99,9%), é inodoro, incolor e atóxico.Devido ao seu alto poder de difusão, é rapidamente absorvido e eliminado. Efeitos adversos são raros e incluem geralmente eritema local e equimoses.

 

Nem todo custo benefício é financeiro. SAÚDE NÃO TEM PREÇO!!!!!!O material utilizado é DESCARTÁVEL!

 

Embora ainda incipiente, a literatura tem demonstrado uma melhora significativa do aspecto clínico das rugas com esse recurso. A Carboxiterapia pode auxiliar no rejuvenescimento tecidual dérmico mediante a produção de fibras colágenas e elásticas, aumentar a hidratação e retenção de água na pele, além de incrementar a circulação sanguínea e consequentemente o aporte de oxigênio e nutrientes para as células, reduzindo as linhas de expressão, rugas e imperfeições do rosto que aparecem com a idade.

 

A Carboxiterapia estimula efeitos fisiológicos como melhora da circulação e oxigenação tecidual. O aumento significativo da concentração de oxigênio (O2) local após a infusão de CO2, é devido à diminuição da afinidade da hemoglobina pelo O2 na presença de CO2, disponibilizando mais oxigênio as células, trazendo, então, os benefícios da hiperoxigenação tecidual favorecendo o metabolismo dos tecidos da região tratada.Além disso, após a ação mecânica, provocada pelo trauma da agulha e pela introdução do gás que causa um descolamento dos tecidos, leva a um processo de reparo tecidual, com fase inflamatória, de fibroplasia e de remodelação.

 

Na fase de fibroplasia(que ocorre geralmente do 3º ao 28º dia) é que haverá migração de fibroblastos para o local tratado e consequente síntese do precioso colágeno e de outras moléculas do tecido conjuntivo, bem como uma neovascularização.

 

Esse procedimento promove maior sustentabilidade à pele, tornando-se um recurso valioso para o tratamento de rugas.

 

Alguns pesquisadores verificaram que após o tratamento com Carboxiterapia, houve um aumento da espessura da derme, evidenciando estímulo à microcirculação, neocolagênese e a reorganização das fibras de colágeno.

 

Em um estudo piloto, Ferreira e colaboradores realizaram biópsia da pele antes e após a injeção subcutânea e intradérmica de gás carbônico em dez ratos irmãos, dois deles mais jovens (3 meses) e oito mais velhos (14 meses). Observaram um aumento de fibras de colágeno na área tratada, sendo mais evidente com as injeções intradérmicas do CO2, ou seja, em um plano mais superficial. Também se constatou que o arranjo das fibras de colágeno dos ratos mais velhos era semelhante ao dos ratos mais jovens.

 

Sendo a ruga um sulco no tegumento na qual ocorre perda de colágeno e elastina, a Carboxiterapia se torna um elemento quase vital para a pele.

 

Pelo o exposto acima, percebe-se que a infusão de CO2 medicinal vem se tornando uma ótima alternativa estética, que oferece uma transformação natural da pele, atenuando linhas de expressão e sulcos mais profundos, assegurando a elasticidade, a luminosidade, o turgor e o resplendor da pele,e consequentemente um visual mais jovem e luminoso.

 

RESULTADOS:

 

resultado01

 

resultado02

 

resultado03

 

resultado04

 

resultado05

 

Embora contemplamos aqui resultados positivos, é importante lembrar que o envelhecimento é dinâmico, fisiológico e lamentavelmente progressivo, portanto temos que pensar em MANUTENÇÃO!!!

 

A carboxiterapia é tecnicamente fácil, com ação farmacológica bem conhecida e baixa incidência de complicações. Esse recurso tem demonstrado resultados encorajadores, podendo ser associado com outras técnicas, potencializando resultados. É um método seguro, prático e eficaz, porém obviamente deve ser realizado por profissionais devidamente habilitados.

 

 

Anna Cláudia Velloso Lipiani

 

 

 

REFERÊNCIAS:

ROUSSO, C. Z.; MACHADO, C. N.;  SCHUTZ, G. R.. Efeitos Estéticos da Aplicação da Carboxiterapia Sobre o Tegumento: Uma Revisão Sistemática. Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC) – Florianópolis (SC), Brasil,2012 . Disponível em: http://www.pergamum.udesc.br/dados-bu/00001a/00001a3d.pdf.     

MADRUGA, D. Paiva; FERREIRA, P. E. N. Realização de procedimentos de carboxiterapia.Brasília, 2012. Disponível em:<http://www.portalmedico.org.br/pareceres/CFM/2012/34_2012.pdf>.

 

WORTHINGTON A; LOPEZ JC: Carboxiterapia – Utilização do CO2 para Fins Estéticos. In: Yamaguchi C. II Annual Meeting of Aesthethic Procedures. São Paulo: Santos, 2006:567-71.

CARVALHOACO, VIANA PC, ERAZO P.Carboxiterapia – Nova Proposta para Rejuvenescimento Cutâneo. InYamaguchiC. I Annual Meeting of Aesthetic Procedures. São Paulo: Santos, 575-79, 2005.

FERREIRAJCT, HADDAD MD, TAVARES, SAN. Increase in collagen turnover induced by intradermal injection of carbon dioxide in rats. Journal of Drugs in Dermatology: March 1, 2008.

SCORZA, F.A.; BORGES, F. dos S. Carboxiterapia: uma revisão. Revista Fisioterapia Ser, Ano 3, n. 4 , out./nov./dez. 2008.

 

 

 

Anna Claudia Lipiani

Sobre Anna Cláudia Lipiani

Graduada em fisioterapia pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais | Pós-graduada em Fisioterapia Dermato-Funcional pela Universidade Gama Filho_RJ e em Uroginecologia e Obstetrícia pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais-FCMMG.